Palácio/Museu dos Biscainhos – uma casa senhorial

Portugal é um país rico em museus de elevado valor histórico e cultural. Em Braga, fomos conhecer o Museu dos Biscainhos instalado no palácio com o mesmo nome que foi mandado construir no século XVII. O arquiteto

Manuel Fernandes da Silva foi o responsável pela obra que foi levada a cabo por artífices da Biscaia (biscainhos).

Fachada interior do palácio voltada para o jardim
Escadaria no interior
A entrada dos veículos…

O imóvel foi pertença de Condes e Viscondes até ter sido adquirido pelo Estado Português no século XX. O seu último proprietário, o 3º Visconde de Paço de Nespereira, terá doado todos os seus bens à cidade, motivo pelo qual nasceu a ideia de criar o Museu dos Biscainhos, já que o espólio do palácio é de elevado interesse e riqueza. A sua abertura ao público deu-se em Fevereiro de 1978.

Claustro do palácio
Sala de Jantar
A Cozinha

Os amplos salões do palácio são o espelho do quotidiano da nobreza da época. Os tetos são luxuosos assim como os móveis de madeiras nobres muito bem preservados. Ao longo da visita podemos apreciar valiosas peças de artes decorativas como ourivesaria, vidros, porcelanas, pinturas, esculturas, têxteis e outros.

O Oratório
Um dos tetos pintados, autenticas obras de arte…
A Sala do Lavor

Há ainda instrumentos musicais que eram usados para animar os serões da alta sociedade e também meios de transporte que eram usados pelos proprietários e seus convidados. O acervo do museu está continuamente a ser atualizado e enriquecido através de doações de beneméritos bracarenses.

Sala da Música
Os azulejos que revestem as paredes de algumas salas estão muito bem conservados e descrevem com clareza o quotidiano da época

O belo jardim arquitetónico que foi criado no século XVIII, está protegido por altos muros mas pode ser visitado gratuitamente. Passeando ao longo dos seus canteiros simétricos encontramos fontes, esculturas, portões, painéis de azulejos, várias espécies de plantas e flores e até uma horta! No reinado de D. Luis I, este espaço teve a honra da visita da família real a convite dos proprietários.

O jardim é de entrada livre e vale a pena passear neste espaço
Uma das várias fontes e portões
Descobrindo esculturas…

Este jardim é também um refúgio ambiental uma vez que os seus altos muros protegem a diversidade de fauna e flora que aqui se encontra. Estão registadas, pelo menos, 21 espécies de pássaros que fazem deste local o seu habitat e convivem alegremente com os visitantes.

Descansando e ouvindo os passarinhos…
Acesso ao jardim formal

Neste jardim vive o “Tulipeiro da Virgínia” plantado no reinado de D. João V, uma árvore com quase três séculos de existência e a maior do seu género em Portugal com cerca de 30 metros de altura e 19 metros de diâmetro de copa!

Verde a perder de vista…
Tentando abraçar o “Tulipeiro da Virgínia”!…

O museu abre de terça-feira a domingo das 10h às 12h30 e das 14h às 17h30. O ingresso custa 2€/adultos e 1€/estudantes, séniores e pessoas com mobilidade reduzida. A entrada é gratuita aos domingos e feriados para todos os cidadãos residentes em Portugal e para crianças até aos 12 anos. Se estiver por Braga não deixe de conhecer este bonito palácio e faça como nós: visite os museus nacionais.

As cavalariças

♥ Boa viagem ♥

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s