Óbidos – o respeito pelas origens

Quer conhecer uma vila amuralhada que nos arrebata o coração? Então venha até Óbidos que fica apenas a 80km de Lisboa, no distrito de Leiria na zona Oeste de Portugal. O seu nome deriva do latim que

significa “cidade fortificada”. Tomada aos Mouros em 1148, tornou-se próspera quando o Rei D. Dinis a ofereceu à sua esposa D. Isabel de Aragão, como prenda de casamento em 1288.

Aproximação a Óbidos
Em tempo de Covid-19, os cuidados sanitários também assumem aqui a sua relevância

A partir daí a vila passou a pertencer à “Casa das Rainhas” e com isso fez parte do dote das várias dinastias tendo sido beneficiada e enriquecida pelas diversas Rainhas ao longo dos séculos.

Igreja de S. Pedro edificada no século XIII. Foi reconstruída após o terramoto de 1755. Nessa altura, apenas o altar-mor e a torre sineira ficaram de pé! No seu interior está o túmulo da pintora Josefa de Óbidos
Nave central da Igreja de S. Pedro
O rico retábulo da Igreja de S. Pedro, em talha dourada, foi ali colocado por volta de 1690

Essa é uma das razões porque encontramos na vila um grande número de igrejas. A Igreja Matriz de Santa Maria, A Igreja da Misericórdia e a Igreja de S. Pedro são exemplos da arquitetura religiosa que vale a pena apreciar com atenção.

Igreja Matriz de Santa Maria construída no século XII, no largo com o mesmo nome
Interior da Igreja Matriz construída no século XII. As paredes foram revestidas a azulejos barrocos em 1696. No altar-mor está o retábulo de Santa Catarina da autoria de Josefa de Óbidos.
Capela lateral de Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Óbidos e o bonito túmulo feito em pedra de Ançã onde estão sepultados D. João de Noronha que foi Alcaide-mor da vila no século XV e a sua esposa

A Porta da Vila, construída em 1380 alberga o oratório com varanda em honra de Nossa Senhora da Piedade, mandado construir pelo Rei D. João IV em agradecimento pela Restauração da Independência em 1640. A ladear o oratório estão bonitos azulejos azuis e brancos que retratam a Paixão de Cristo.

A principal porta de entrada na vila
O oratório de Nossa Senhora da Piedade
A Porta da Vila vista do lado de dentro da muralha

O labirinto de ruas com casinhas brancas e azuis confunde-se com as janelas e portadas floridas a fazer lembrar que talvez a Primavera tenha escolhido Óbidos para lá morar todo o ano!

Casinha típica
Muitas flores e decorações em azulejo por todos os cantos

No Museu Municipal encontram-se expostas as obras de Josefa de Óbidos, uma pintora portuguesa do século XVII, famosa pela sua atitude artística irreverente. Este museu encontra-se aberto de terça-feira a domingo das 10h às 13h e das 14h às 17h. O ingresso custa 1,50€.

Entrada do Museu Municipal
Varandim do Museu Municipal com vista para o vale que rodeia Óbidos

A estrela deste ambiente medieval é o Castelo de Óbidos construído no século XII e que sofreu sérios estragos aquando do, tristemente célebre, terramoto de 1755. Só em 1932, quando já apresentava um alto nível de degradação, foi alvo de grandes obras de reconstrução.

Uma das entradas do castelo
Castelo de Óbidos que foi Paço Real e dos Alcaides
O antigo terreiro de armas

Em 1950 foi convertido na primeira unidade hoteleira do país instalada num edifício histórico e assim surgiu a Pousada do Castelo de Óbidos. Em 2007 o castelo foi eleito uma das “7 Maravilhas de Portugal”.

Recepção e entrada de acesso à Pousada do Castelo
Vistas de perto, as casas são maravilhosas

E por falar em alojamentos, encontra na vila várias unidades de Turismo de Habitação com qualidade onde pode dormir uma noite e assim desfrutar com mais intensidade deste ambiente peculiar.

Casa S. Thiago do Castelo / Turismo de Habitação
Turismo de Habitação / Casa da Buganvília

A muralha de pedra que cerca toda a vila tem aproximadamente 1,6 km de extensão e tem escadas de acesso em vários pontos. Pode ser percorrida na totalidade ou em parte, para melhor apreciar a paisagem verdejante dos arredores ou os telhadinhos das casinhas que, vistos de cima, proporcionam belas fotos para mais tarde recordar.

No cimo da muralha…
As casinhas vistas de cima…
Uma das torres de defesa da vila
Pisando uma construção com tantos séculos de existência…

Atenção que a muralha em certos pontos não tem proteção e pode atingir os 13 metros de altura do chão. Por essa razão, se tem vertigens ou vai com crianças pequenas tenha isso em consideração.

Um aviso para levar em consideração…
Perca-se pelas ruelas empedradas

Na Rua Direita, que liga a entrada principal ao castelo, está concentrada a maior parte dos estabelecimentos de restauração e comércio onde o ambiente e a decoração medieval foram mantidos. Não deixe esta rua sem beber uma Ginja de Óbidos em copo de chocolate. Esta bebida feita com o fruto largamente produzido na zona, é a combinação ideal para degustar e terminar comendo o próprio copo! Também há a versão sem álcool para que toda a família possa saborear o momento em conjunto.

A Rua Direita
Comércio tradicional na Rua Direita
São dois cafés e duas ginjas em copo de chocolate, se faz favor…

Mas Óbidos não quis apenas manter a sua identidade medieval. Com vontade de evoluir culturalmente, a vila é também conhecida pelos interessantes eventos que organiza. A Vila Natal que se realiza entre Dezembro e Janeiro, o Festival Internacional do Chocolate que decorre entre Abril e Maio, o Mercado Medieval que abrange o mês de Julho e os vários eventos de música clássica que têm lugar nos meses de Verão onde se inclui o Festival de Ópera, são provas dadas de que a cultura, por aqui, está bem viva.

A Livraria dentro do Mercado Biológico…
… ou o Mercado Biológico dentro da Livraria?

Mas como se não bastasse, o grande número de lojas de livros usados, livrarias e antiquários despertou a atenção da UNESCO que em 2015 atribuiu a Óbidos o título de Cidade Criativa da Literatura. Um dos belos exemplos que contribuiu para este título é a antiga Igreja de Santiago construída em 1186 e que, agora desativada, foi convertida na Grande Livraria de Santiago.

A Igreja de Santiago, construída em 1186, está agora convertida em livraria
Interior da igreja/livraria de Santiago

O Festival Internacional de Literatura conhecido como “O Fólio” (palavra que significa folha dobrada ao meio em forma de livro) é motivo de encontro de grandes escritores mundiais que aqui se deslocam todos os anos.

Acesso ao recinto medieval onde se realizam muitos dos eventos da vila
Pode visitar a vila numa das charretes que se encontram na entrada principal

Em 2018 foi inaugurada a “Casa de Saramago” onde se podem encontrar todas as obras do Prémio Nobel português e em todas as línguas, que estão à disposição para serem consultadas ou adquiridas.

Casa José Saramago, o escritor português galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1998. Em 1995 tinha também recebido o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa
O Pelourinho foi construído em 1513 e era o local onde se aplicava a justiça. O Telheiro, ao fundo, era o antigo mercado na era medieval. Era aqui que se contratavam os trabalhadores agrícolas. Era também o balcão de honra onde as figuras ilustres da época assistiam às cerimónias que aconteciam na Praça de Santa Maria

Fora das muralhas não deixe de visitar o Cruzeiro da Memória de arquitetura manuelina, construído no século XV para comemorar a vitória de D. Afonso Henriques aos Mouros.

O local onde as tropas de D. Afonso Henriques acamparam.
O Cruzeiro da Memória

Atravessando os parques de estacionamento, é bem visível o aqueduto mandado construir no século XVI pela Rainha D. Catarina de Áustria, esposa do Rei D. João III, com o objetivo de levar água para dentro da vila e cuja extensão é de 3km.

O Aqueduto de Óbidos
O principal chafariz da vila foi construído em 1545

A poucos metros de distância fica o não menos interessante Santuário do Senhor Jesus da Pedra, uma das principais construções barrocas de Portugal. A sua origem tem por base uma lenda do século XVIII segundo a qual, um agricultor ao amanhar a terra terá encontrado uma cruz de pedra com a imagem de Cristo em criança.

O Santuário do Senhor Jesus da Pedra visto a partir da muralha de Óbidos
A muralha de Óbidos vista a partir do Santuário

Levou-a para casa, mas no dia seguinte a cruz desapareceu e foi encontrada de novo no campo. O agricultor levou-a de novo para a sua casa e a mesma situação repetiu-se durante 3 dias seguidos! Chegou-se à conclusão que a imagem queria ficar naquele sítio e então organizou-se um peditório para ali construir um templo que albergasse a imagem milagrosa.

A cruz com a imagem de uma criança é exemplar único no Mundo

Em 1742 o Rei D. João V teve conhecimento do sucedido e passou a visitar frequentemente a imagem, deixando avultadas ofertas que resultaram na inauguração do Santuário em 1747, estando este ainda por acabar porque o Rei morreu pouco depois. Por essa razão e na ausência das torres, os sinos foram colocados nas janelas.

O Santuário está encerrado à segunda-feira
No interior do Santuário, o hexágono no chão assinala o local onde a cruz foi encontrada e onde, mais tarde, foi colocada a primeira pedra para a construção do monumento
Em cada recanto, uma beleza escondida

Óbidos é uma vila colorida, carregada de História e com charme para dar e vender. Venha conhecê-la.

Gostámos muito de aqui estar e de lhe dar a conhecer mais este cantinho do nosso lindo país

♥ Boa viagem ♥

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s