De passagem por Nápoles

Nápoles é a capital da região da Campânia e a terceira cidade mais populosa de Itália. A sua fundação remonta ao ano 470 a.C. sendo, assim, uma das cidades mais antigas da Europa. A sua proximidade com o Vesúvio, as ruínas de Pompeia e as belas ilhas de Capri, Ischia e Procida fazem com que esteja sempre apinhada de turistas.
Se estiver apenas de passagem para algum destes lugares, e não tiver tempo para mais, dispense algum tempo para fazer uma visita ao centro histórico desta cidade que é Património Mundial da UNESCO desde 1995.

936
Centro histórico – Praça do Plebiscito

Na baía, o porto de Nápoles estende-se, por vários quilómetros, do centro para a parte oriental da cidade e é um dos portos da Europa com mais movimento de passageiros.

968
Movimento de passageiros no porto

Além da grande quantidade de navios de cruzeiro que recebe, é daqui que saem os ferry e catamarans com destino a diversos países do Mediterrâneo e ilhas italianas, entre as quais, a ilha de Capri.

hpim1527
Partida de um ferry

Saindo do porto, em direção a Oriente, chegamos à Praça do Município e seguimos pela Via Vittorio Emanuele III onde encontramos a entrada principal do Castelo Novo cuja construção foi iniciada em 1279. Serviu de residência real e também de fortaleza, devido à sua localização estratégica.

960
Castelo Novo

Logo ao lado, ergue-se o Palácio Real de Nápoles, destacando-se o seu portão ladeado por dois cavalos de bronze.

959
Detalhe do portão do Palácio Real

Seguindo pela Via San Carlo, não ficamos indiferentes à fachada da Galeria Umberto I. Vale a pena entrar, por uns momentos, para apreciar o seu interior que faz lembrar a Galeria Vittorio Emanuele II em Milão.

933(1)
Exterior da Galeria Umberto I
939
Interior da Galeria Umberto I

Em frente fica o Teatro Real de S. Carlo mandado construir pelo rei Carlos III de Bourbon em 1737.

940
Fachda doTeatro Real de S. Carlo

Daqui, seguimos pela Praça Trieste e Trento sempre animada com as suas esplanadas. Se gosta de café, aproveite e entre no lendário Café Gambrinus. Aqui pode beber uma verdadeira “italiana” e não é mais caro por isso.

HPIM1502
Praça Trieste e Trento
953(1)
Café Gambrinus

Seguimos, então, para a Praça do Plebiscito a maior praça de Nápoles. O destaque vai para a Basílica de San Francesco di Paola inspirada no Panteão de Roma e cuja colunata faz lembrar a Basílica de São Pedro, no Vaticano. Em frente, duas estátuas equestres: a de Carlos III de Bourbon, o fundador da dinastia dos Bourbon em Nápoles e a de seu filho, Fernando IV. Do lado oposto, situa-se a entrada principal do Palácio Real de Nápoles e dos lados podemos ver o Palácio da Prefeitura e o Palácio Salerno, hoje usado para fins militares.

937
Basílica de San Francesco di Paola

De regresso ao porto, ainda pode apreciar a imponência do Castelo Novo visto de outro lado.

HPIM1528
Castelo Novo visto do porto

Se for viajar de barco, quando estiver no convés, olhe para cima. No alto de uma colina verá o Castelo de Sant’Elmo datado do ano de 1329. Começou por ser uma fortaleza e depois passou a prisão. Hoje, é sede de serviços públicos, exposições e eventos culturais. Quem o visita tem uma fantástica vista, em 360º, sobre a cidade de Nápoles.

HPIM1529
Castelo de Sant’Elmo no topo da colina

Partindo do porto, todo este percurso tem menos de 2 Km e não precisa de mais de 1 hora para ser feito por pessoas com mobilidade normal. É uma excelente forma de aproveitar o tempo se estiver à espera de embarcar ou mesmo numa escapadinha entre comboios. Pelo caminho não deixe de espreitar para as ruelas que vão aparecendo. Um cheirinho da essência de Nápoles.

942
Espreitando as ruelas de Nápoles

♥ Boa viagem ♥

Guia prático


♦ Quando ir

O outono e inverno são os meses mais chuvosos com temperaturas que podem ir aos 14º. A melhor altura para visitar a cidade é na primavera e no verão. Os termómetros podem chegar aos 30º e, para quem vai navegar, o mar está mais calmo.

♦ Como ir

Várias companhias aéreas fazem a ligação de Lisboa para Roma. Depois siga para a estação de comboios Roma Termini e escolha entre o Frecciarossa e o Intercity que demoram respetivamente 70 e 120 minutos a chegar à Estação Central de Nápoles.

♦ O que vestir

No verão, roupa e calçado frescos e confortáveis. No inverno, os habituais agasalhos e proteção para a chuva.

♦ Alojamento

Para quem vai ficar mais tempo, a cidade tem uma grande variedade de alojamentos com preços para todas as bolsas.

♦ Informações importantes

Visite o nosso Guia de Viagem para a Itália onde encontrará indicações úteis sobre a entrada e permanência no país.

One thought on “De passagem por Nápoles

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s