Uma visita à Sé Velha de Coimbra

Quem passeia por Coimbra não fica indiferente ao porte robusto daquela construção que mais parece um castelo, com muros altos coroados com ameias e pequenas e estreitas janelas. Visitar a Sé Velha de Coimbra é o mesmo que recuar aos primórdios da História de Portugal quando, após a Batalha de Ourique em 1139, Afonso Henriques se declara 1º Rei de Portugal e manda erguer a Sé de Coimbra, cidade onde fixa a capital do Reino.

FACH
Pormenor da arquitectura da fachada principal onde se notam influências árabes

A obra, em estilo românico, ficou a cargo de Mestre Roberto que na altura era responsável pela construção da Sé Catedral de Lisboa, facto que o obrigava a constantes deslocações entre as duas cidades. Esta catedral é a única da época da Reconquista que sobrevive intacta até hoje! A aparência pesada, como se de uma fortaleza se tratasse, era comum às construções da época devido ao clima de batalhas em que se vivia.

22
A torre da capela-mor e a torre-lanterna românicas da Sé Velha

Na fachada principal chamam a atenção motivos de influência árabe. A Porta Especiosa, que mais parece um retábulo com três pisos, foi construída já em 1530 pelo escultor João de Ruão e é uma das principais obras do Renascimento em Portugal.

ESPECIOSA
A Porta Especiosa
NIVEL
Detalhe do trabalho escultural do terceiro nível da Porta Especiosa

No interior impressionam as altas colunas com um grande número de bonitos capitéis esculpidos e que, alinhadas, dão forma às três naves da igreja.

NAVE
A nave central da igreja
CAPITEL
O piso superior da galeria com arcadas e as altas colunas com os seus bonitos capitéis (formas esculpidas que marcam as zonas onde se apoiam os arcos nos pilares)
LATERAL
Uma das naves laterais

Ao fundo, o maravilhoso altar gótico com um riquíssimo retábulo do século XV conquista a nossa atenção (não é por acaso que é o melhor deste estilo existente em Portugal). Foi neste belo cenário que, em 1185, decorreu a cerimónia de Coroação de D. Sancho I segundo Rei de Portugal. A nave principal exibe ainda um segundo piso composto por uma galeria com arcadas.

ALTAR
O altar da Sé Velha
ALTARMOR
O riquíssimo retábulo-mor, obra de entalhadores flamengos
LINDO
O retábulo retrata a História da Virgem e Jesus

O bonito claustro foi construído já no século XIII com um conjunto de arcos e rosáceas criando um efeito original que marcou a transição para o estilo gótico.

CLAUSTR
O claustro românico-gótico
INT
Nave lateral do claustro
TOWER
A torre-lanterna
FIGURAS
Capela do claustro

Túmulos, estátuas, pinturas e belos azulejos fazem parte da rica decoração do templo, assim como uma artística pia baptismal do início do século XVI em estilo gótico-renascentista.

CAPELA
Capela e retábulo do Santíssimo
AZULE
Figura de Nossa Senhora do Rosário do século XVIII e azulejos Hispano-árabes do século XV
PEDRO
Retábulo renascentista na capela de S. Pedro
PIMTURA
No templo há imensas pinturas dignas de serem apreciadas e todas contam uma história…

A Sé Velha de Coimbra abre-nos as portas todos os dias entre as 10h e as 18h, excepto à quinta-feira que encerra às 16h. A visita completa dos claustros e galerias custa 2€, mas a igreja tem acesso gratuito.

VATAÇA
Túmulo de Vataça Láscaris, uma dama italiana que foi aia e grande amiga da Rainha Santa Isabel. Tradicionalmente, todas as noivas que se casam aqui na Sé Velha vão depositar o seu bouquet de flores sobre este túmulo rodeado de águias bicéfalas (símbolo da nobreza no século XIV)
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
A bonita pia baptismal do século XVI
TUMULO
Na capela de S. Nicolau, situada no claustro, está o túmulo de D. Sesnando (século XI) que foi o primeiro Governador de Coimbra,  figura muito acarinhada por promover o diálogo entre as várias religiões

É aqui, na escadaria da entrada principal, que todos os anos se dá início às cerimónias da Queima das Fitas dos estudantes de Coimbra com a Serenata Monumental ao som das guitarras portuguesas. Emocionados, milhares de estudantes trajados a rigor com as suas “capas negras” e os seus familiares, desfrutam da beleza do momento e do seu simbolismo. Enquanto escutam o Fado de Coimbra, muitos despedem-se da vida académica com um misto de saudade e apreensão em relação ao futuro, mas para outros é apenas o início de uma longa jornada…

SERENATA
Serenata de Coimbra (foto Wikipédia)
AGUA
Depósito de água benta

♥ Boa viagem ♥

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s