Cheverny – o castelo das “Aventuras de Tintim” no Loire

Em França, mais precisamente no Vale do Loire, existe uma infinidade de castelos mas há um que é especial e pode ser uma opção de visita interessante para quem viaja com crianças. O Castelo de Cheverny que fica a 200 Km de Paris e a 78 Km de Tours, tem duas curiosas particularidades: é o único castelo do Loire que continua a ser habitado pelos seus proprietários e é ainda o castelo que serviu de inspiração a Hergé, o desenhista belga das “Aventuras de Tintim”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Quadro junto à entrada do castelo
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Fachada Norte onde uma ponte de quatro arcos atravessa o fosso

O Château foi mandado construir num estilo clássico homogéneo entre 1624 e 1630 por Henry Hurauld, filho do Conde de Cheverny de quem herdou as terras. À Condessa Marguerite, sua esposa, coube assumir a decoração do espaço, mas devido à sua morte prematura é a sua filha Elisabeth que lhe vai dar continuidade e o resultado foi fantástico. Depois e durante mais de 150 anos, o palácio mudou várias vezes de proprietário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
A Galeria onde estão expostos retratos da família Hurauld
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
No Pequeno Salão evidenciam-se os móveis e pormenores decorativos com mármore de Carrara
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
No Salão das Tapeçarias as paredes estão cobertas com tapeçarias do século XVII que retratam cenas do quotidiano da região

Em 1765 foi alvo de grandes obras de renovação e em 1824 voltou a ser comprado pela família Hurault que habita o Château de Cheverny até aos dias de hoje. Em 1914 o proprietário achou que seria interessante abrir o palácio ao público e não se enganou. Mais de 400.000 pessoas passam por aqui ao longo do ano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
A Biblioteca tem mais de 2000 livros
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O Salão usado para reuniões íntimas

A visita decorre ao longo de dois pisos onde salta à vista o requinte da decoração com objectos e móveis muito bem conservados e detalhes que também chamam a atenção dos mais pequenos. É o caso, por exemplo, do Quarto das Crianças com os seus brinquedos ou a Sala das Armas e armaduras que também aparecem nas histórias de ficção e que se mantém intacta desde a construção do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O Quarto das Crianças
123 (2)
A Sala de Armas é a maior do castelo e as armaduras são do século XV, XVI e XVII. Ao fundo, uma tapeçaria do século XVII que representa o rapto de Helena de Tróia.
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Por cima da lareira da Sala de Armas está uma pintura que retrata a morte de Adónis.

No Grande Salão onde se exibe uma harpa com mais de 200 anos, saltam à vista porcelanas, quadros e belas tapeçarias que contam a História da propriedade. Sobre a lareira encontra-se em destaque o retrato de Anne de Thou, mãe do construtor de Cheverny. Em cima dos móveis há retratos recentes da família que, desta forma, dá as boas vindas a todos os visitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
No Grande Salão salta à vista a harpa com mais de 200 anos
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
As fotos da família Hurauld que habita actualmente o Château
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
No Grande Salão há retratos da família Real que era visita assídua do castelo
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
A Sala de Jantar da família

No Quarto de Casal está em exposição o vestido de noiva que a actual Marquesa de Vibraye (título de família criado em 1625) usou em 1994. Ao contrário dos outros castelos da zona que foram residências reais, Cheverny permaneceu uma propriedade privada, conservando o mobiliário e decoração do século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O Quarto de Casal e o vestido de noiva da Marquesa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O Quarto dos Partos onde as mulheres davam à luz e apresentavam os filhos à sociedade

Os pormenores de maior requinte podem ser apreciados no Quarto do Rei, onde o monarca pernoitava quando visitava a propriedade para participar nas grandes caçadas. Era uma honra para a família receber o soberano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O Quarto do Rei com a cama do século XVI
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
A lareira do Quarto do Rei. A decoração é em dourado, azul e vermelho, as cores do brasão da família Hurauld

O castelo continua a organizar torneios de caça e por isso mantém um canil com mais de cem cães. Todos os dias eles são alimentados às 11h30 e os visitantes podem assistir. Convém dizer que aqui são aplicadas todas as Normas de Saúde Pública e respeito pelos animais. Na Sala dos Troféus, num anexo criado para o efeito, exibem-se 2.000 chifres de veado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O anexo onde se localiza a Sala dos Troféus
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Neste jardim são colhidas diariamente as flores que decoram o interior do palácio

Nos imensos jardins e parques que envolvem toda esta atmosfera, nasceu o Le Courpin, um riacho que forma um lindo espelho de água e onde se podem fazer passeios de barco. Se quiser ficar com uma ideia da imensidão da propriedade, dê uma volta num dos carrinhos eléctricos que existem para o efeito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Os jardins são enormes e muito bem cuidados
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O Jardim dos Aprendizes fica entre o palácio e a Orangerie

Ao fundo do jardim, na Orangerie, estiveram guardadas e escondidas as obras do Museu do Louvre, durante a Segunda Guerra Mundial. No Verão, funciona naquele edifício uma cafetaria e salão de chá. No Inverno ficam ali recolhidas as plantas mais sensíveis. Nos vários espaços ajardinados, que na Primavera se enchem com centenas de espécies de flores, realizam-se vários eventos como concertos e desfiles de moda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
A Orangerie

A perdição das crianças é a exposição interactiva sobre a famosa figura de banda desenhada “Tintim”. Aqui encontram livros, roupas e objectos que os transportam para dentro das histórias desta famosa personagem. Há ainda um jogo-surpresa em que podem participar e que vai mudando de tema. Cheverny orgulha-se de ter servido de inspiração a Hergé para criar o Château de Moulinsart que apareceu pela primeira vez em 1943 no capítulo “O Segredo do Licorne” de “As Aventuras de Tintim”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Entrada da exposição das “Aventuras de Tintim”
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Tintim e o seu inseparável amigo Milú dão as boas vindas na entrada

O castelo encontra-se aberto no Inverno entre as 10h e as 17 horas e no Verão entre as 9h15 e as 18h30. Os bilhetes têm vários preços consoante queira ver apenas o palácio e jardins ou acrescentar a exposição do Tintim, barco e carro eléctrico. Os preços que se seguem são a tarifa mínima e a completa mas há tarifas intermédias. Crianças até aos 7 anos: gratuito. Até aos 14 anos: 8.20€/16.20€. Adultos: 11.50€/21€.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Uma página das “Aventuras de Tintim”

Para aqui chegar pode vir de carro pois há dois grandes parques de estacionamento, de autocarro, em excursão organizada ou de comboio. Neste caso tem que sair na estação de Blois e apanhar depois o autocarro que vai para os castelos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Edifício da Prefeitura de Cheverny
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Monumento de homenagem aos mortos de Cheverny na Primeira Guerra Mundial

O Château de Cheverny merece que passe aqui algumas horas do seu tempo. Se a família Hurauld convida… então façam o favor de entrar!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pavilhão lateral visto do jardim

♥ Boa viagem ♥

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s